• twitter
  • facebook
  • rss

Frejat passa Rollemberg, segundo Instituto Exata OP

Sabado, 25 de outubro de 2014 | 16:08

 

 

Informações Jornal de Brasília

O Instituto Exata de Opinião Pública divulgou, neste sábado, a última pesquisa de intenções de votos para o Buriti antes do segundo turno, onde o candidato do PR Jofran Frejat aparece pela primeira vez à frente de Rodrigo Rollemberg (PSB), desde o início do segundo turno.

De acordo com a pesquisa, Frejat aparece com 50,2% das intenções de votos válidos, quando se desprezam os brancos e indecisos. Já Rollemberg caiu para 49,8%. Com o resultado, os postulante ao governo do Distrito Federal estão tecnicamente empatados, dentro da margem de erro que é de 2% da cima ou para baixo.

A pesquisa entrevistou, no dia 24 de outubro, 2 mil pessoas. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral sob o número DF-00088/2014.

 

O Fraga campeão de votos e sem papas na língua, aqui no blog

Quinta-feira, 23 de outubro de 2014 | 18:52

“O Rollemberg não tem nada de novo. O problema é que ele nasceu com aquilo virado para a lua. Não conheço nenhuma ideia nova dele, tudo que ele fala é copiado”.(Alberto Fraga)

O deputado federal mais votado nas eleições deste ano, no DF, Alberto Fraga, concedeu entrevista exclusiva ao blog. Famoso por não ter papas na língua quando defende seus posicionamentos, Fraga, como é mais conhecido, fez um balanço da campanha da coligação que ele apoia, a do candidato Jofran, e não poupa o adversário Rollemberg quando afirma, por exemplo, que ele apenas copia ideais dos outros e que “ele nasceu com aquilo virado para a lua”. Como temos feito aqui no blog, e nossos leitores aprovaram, buscamos uma pequena biografia de Alberto Fraga, para que o nosso leitor conheça mais do deputado campeão de votos em 2014 no DF.

João Alberto Fraga Silva nasceu na cidade de Estância, no Estado de Sergipe, no dia 2 de junho de 1956. Bacharel em direito, Tenente coronel, casado com Mirta Brasil Fraga, pai de três filhos.

Aos 10 anos muda-se para Brasília, e em 1974 ingressa na Polícia Militar do Distrito Federal. Na Polícia Militar do Distrito Federal, Fraga conquista todos os níveis da hierarquia militar quando, em 1996, é promovido a Tenente-Coronel por merecimento.

Em 1997, Fraga torna-se assessor parlamentar das polícias militares na Câmara dos Deputados e também presidente do clube dos oficiais da PM. A proximidade com a vida política o conduz às eleições de 1998, quando foi eleito suplente de deputado federal com 21.244 votos. Mas logo no início assumiu uma cadeira na Câmara, sendo eleito mais duas vezes.

Em 2002, seria eleito com 27.939 votos e reeleito em 2006 com 95.514 votos, pelo então PFL. Durante os mandatos foi vice-líder do PMDB, em 2003, vice-líder do PFL, entre julho de 2005 e janeiro de 2007, e vice-líder do DEM.

Foi o líder da Frente Parlamentar pelo Direito à Legítima Defesa, que comandou a campanha do NÃO, vencedora no Referendo das Armas de 2005 sobre a proibição da venda de armas e munições no Brasil.

Licenciou-se do cargo de deputado no período de 2007 a 2010, quando ocupou o cargo de Secretário de Transportes do Distrito Federal. Teve como principais projetos o Brasília Integrada e a extinção do transporte irregular.

“O Rodrigo em 20 anos de vida pública nunca fez nada. Foi senador a reboque dos votos do senador Cristovam Buarque. Sem falar que na época ele tinha uma condenação no TCU. Temos que reconhecer que o senador é muito forte na articulação de abafar os escândalos relativos a ele”.(Alberto Fraga)

Rádio Corredor - Por que o senhor foi o parlamentar mais votado do DF?
Alberto Fraga - Eu acho que foram as propostas sobre a segurança pública que fizemos. Esse tema dá credibilidade perante a população. Só quem pode ficar contra é o bandido. O cidadão quer propostas para freiem a violência.

RC - Por que o governador Agnelo Queiroz não foi para o segundo turno?
AF - Em virtude da sua rejeição. As lambanças que o atual governador fez durante o seu governo o tiraram da disputa. Além de incompetência na sua gestão. Não houve, saúde e muito menos segurança pública para o cidadão.

RC - O que o senhor acha da candidatura de Jofran Frejat?
AF - O Frejat é um bom candidato é um cara que tem boas ideias. Engana-se quem pensa que ele será marionete nas mãos do Arruda. Eu achei que ele foi muito correto quando disse que vai assumir as propostas apresentadas pelo ex-candidato José Roberto Arruda.

RC - Acredita na vitória de Frejat?
AF - Lamentavelmente tivemos mais um transtorno nessas eleições. Igual à ocorrida em 2010. Se nós perdemos essa eleição vai ser por teimosia do Arruda. Se ele não tivesse impedimento judicial ele teria levado essa eleição. Mas não deu. Arruda não deveria ter dado ouvido aos advogados que agiam mais como advogados não como amigos. A cada derrota na justiça os advogados alimentavam uma nova expectativa. Foi um grande erro.

RC - Sobre o Rodrigo Rollemberg lidera as pesquisas?
AF - O Rodrigo em 20 anos de vida pública nunca fez nada. Foi senador a reboque dos votos do senador Cristovam Buarque. Sem falar que na época ele tinha uma condenação no Tribunal de Contas da União(TCU). Isso foi muito bem escondido que nem eu fiquei sabendo na época. Temos que reconhecer o senador é muito forte na articulação de abafar os escândalos relativos a ele.

RC - O senhor acha que ele é novo na política?
AF - O Rollemberg não tem nada de novo. O problema é que ele nasceu com aquilo virado para a lua. Não conheço nenhuma ideia nova dele, tudo que ele fala é copiado. Não tenho nada contra a pessoa do Rollemberg acho que ele é um sortudo e tudo com ele cai do céu. Na sua eleição para senador foi arrastado pelo Cristovam. Quando tivemos igualdade na disputa nunca teve mais votos que eu. Sempre ganhei dele.

RC - Por que ele lidera as pesquisas?
AF - Lamentavelmente tivemos mais um transtorno nessas eleições igual a 2010. Se o Frejat tivesse sido colocado a mais tempo ganharíamos essa eleição com os pés nas costas. E o mesmo exemplo dou do senador Reguffe: não sei que fenômeno é esse. Eu me prendo a atuação parlamentar com todo respeito que eu tenho a pessoa dele. Mas, a atuação dele como deputado distrital e federal é pífia.

 

Por: Odir Ribeiro e Francisco Paula Lima

Produção: Eugenio Piedade

Fotos/Arte: Hernanny Queiroz

Da Redação

Caso Benedito Domingos arquivado

Quinta-feira, 23 de outubro de 2014 | 15:22

 

A Comissão de Ética da Câmara Legislativa acaba de decidir que o deputado distrital Benedito Domingos(PP)não será cassado. Joe Valle(PDT) e Patrício votaram contra o arquivamento. Já Agaciel Maia(PTC) se absteve. Olair Francisco(PtdoB) e Evandro Garla votaram contra a cassação. Como deu empate coube a Olair que é  presidente da comissão dar o voto de minerva que foi a favor de Benedito. O resultado coloca fim ao processo e Benedito Domingos terá seu processo de cassação arquivado.

 

Fonte: Redação

Marconi imita Frejat

Quinta-feira, 23 de outubro de 2014 | 12:48

 

 

Informações Blog do Fred Lima

Parece que a Tarifa Frejat de R$ 1,00 para o preço da passagem de ônibus no DF influenciou a campanha ao governo de Goiás. O candidato-governador Marconi Perillo (PSDB) defende também a proposta para o Entorno, onde os ônibus cobrariam o mesmo preço do DF, no trajeto até Brasília. A diferença é que a qualidade dos ônibus do Entorno são bem inferiores aos da Capital Federal.

Imagina se a moda pega no país inteiro?!

Equipe amarela de cabelo em pé

Quinta-feira, 23 de outubro de 2014 | 9:39

 

 

O maior medo dos articuladores da campanha de Rodrigo Rollemberg já roda, de mão em mão, nos bastidores da política local e nas redações dos jornais e blogs da cidade. Um dossiê, com todos os documentos que foram entregues à Procuradoria Geral da República (PGR) em uma denúncia que teria sido formalizada contra Rollemebrg, curiosamente, ainda sem respostas.

Diz o dossiê que Rollemebrg, que se diz o candidato da ética, da transparência e de uma política nova, teria usado sua influência política no passado – passado recente – para ajudar a esposa, a cunhada, o compadre e mais parentes. A denúncia teria sido feito à PGR contando tudo: a nomeação da esposa de Rollemberg, Márcia Helena Gonçalves Rollemberg, para chefiar a Coordenação-Geral de Documentação na Secretaria de Administração do Ministério da Saúde, em 1994, e por aí vai.

Mas se fosse só a nomeação de Márcia, tudo bem. O problema é que, segundo o dossiê, Rollemebrg e sua esposa – ela na área federal e ele quando assumiu a Secretaria de Turismo do DF, no governo Cristovam – teriam beneficiado a empresa Link Design em licitações e contratos. A empresa pertence a ninguém menos que a cunhada de Rollemberg.

O documento entregue à PGR mostra, ainda, liberação de emendas que vão de R$ 1 milhão acima e que, ainda de acordo com o documento, acabam beneficiando nomes extremamente ligados ao atual senador. A denúncia está na PGR desde 2010, a mesma ainda não deu respostas à população do DF. Mas o vazamento das informações tem deixado a equipe de Rollemberg de cabelo em pé, rezando para a eleição passar logo e a história não vir a público.

 

Fonte: Redação

Um passarinho me contou

Quarta-feira, 22 de outubro de 2014 | 19:55

 

 

...que o GDF vai fazer o pagamento dos servidores públicos no próximo dia 24 de outubro...

...que o dia 27 de outubro será ponto facultativo...em homenagem ao dia do servidor...

...que todo esse imbróglio pode ajudar a esvaziar as eleições que ocorrerão no dia 26...

...que petistas históricos estão apoiando sim, Jofran Frejat(PR)...o passarinho viu tudo...

...que o apoio que parte do PT-DF vem dando a Frejat é pura vingança contra Rollemberg...

....que no Entorno do DF são cerca de 183 mil eleitores não contabilizados....

...que Rodrigo Rollemberg adiou mais uma vez a reunião com o Sindicato dos Professores do DF(Sinpro)....

...que a reunião entre o Sinpro e Rollemberg será marcada para essa quinta-feira,23...

...que não tem pesquisa e previsões a eleição no DF tem tudo para ser apertada...

...que o sindico do Entrelagos fez uma eleição para lá de fantasma...até síndico de condomínio virou galinha dos ovos de ouro...

...que os coordenadores de campanha de Jofran Frejat cabem até em um fusquinha....

...que caso haja vitória de Frejat a divisão de cargos não será tanta...dá para enxugar a máquina...

...que seja quem for o governador no domingo (26) …a transição será montada na terça(28)

...que Dr. Paulo Guimarães consultor jurídico de Agnelo Queiroz está pedindo votos para Frejat na cara dura...

...que um fato na Procuradoria Geral da república(PGR) atormenta a campanha de Rodrigo Rollemberg…amanhã bem cedo no blog...

 

Eita passarinho que sabe de coisas, gente!!!

Por Odir Ribeiro

Fonte: Redação

Deputado mais votado do DF revela de onde vieram os seus votos, aqui no blog

Quarta-feira, 22 de outubro de 2014 | 16:43

“Não fui eleito só com os votos da igreja. Isso não existe. Estava rodando em média 250 km por dia. O trabalho de Secretaria de Esportes ajudou mais de 4 mil atletas na minha gestão”.(Júlio César)

Júlio César(PRB) está a apenas dois anos no Distrito Federal, e mesmo assim foi o suficiente para ser o deputado distrital mais votado dessas eleições, com 29.384 votos que o credenciam a voos mais altos. A lenda de que ele foi eleito só com os votos da Igreja caiu por terra já que o seu trabalho à frente da Secretaria de Esportes foi um dos responsáveis pela sua projeção fora do circuito religioso e por sua expressiva votação.

Seguindo a linha que adotamos aqui neste blog e que nossos eleitores aprovaram, fizemos uma pequena biografia do nosso entrevistado, por vários motivos, entre os quais para que o eleitor que desejou mudar, e de fato, mudou metade da nossa Câmara Legislativa do DF, conheça mais os seus representantes. Principalmente os que tiveram a votação expressiva, que é o caso do nosso entrevistado. Quanto mais votos, mais responsabilidades, mais visibilidade e maior cobrança por parte de nossa população. Assim funcionam as democracias. E assim funcionam os meios de comunicação, como o nosso blog.

Biografia
Júlio César,39 anos, é nascido na cidade de São Bernardo do Campo- SP. Em 1994 se tornou pastor da Igreja Universal do Reino de Deus. Além de ser formado Direito na Universidade Ibirapuera – SP.

Vida pública
Em 2012, através de um convite do Partido Republicano Brasileiro- PRB foi chamado para assumir a Secretaria de Esporte do DF. Função que lhe deu visibilidade política e o credenciou a disputar uma vaga de deputado distrital. Pelo visto, ele soube bem exercer a sua função, pois foi o deputado mais votado da nossa CLDF que inicia a legislatura em 2015.

Leia abaixo a entrevista em que o deputado distrital mais votado nas eleições deste ano concedeu, com exclusividade, ao nosso blog.

Rádio Corredor - As pessoas estão dizendo que o senhor só se elegeu por causa dos votos da igreja. O que senhor diria a respeito?
Júlio César - Não fui eleito só com os votos da igreja. Isso não existe. Estava rodando em média 250 km por dia. O trabalho de Secretaria de Esportes ajudou mais de 4 mil atletas na minha gestão.

RC - Qual foi segredo para ser o mais votado?
JC - Nenhum. Não tive placa na rua, a única que fiz foi adesivo de carro. As redes sociais foram utilizadas e nos ajudaram muito nessas eleições. Como te disse anteriormente nossa eleição foi muito suada e andei cerca de 250 km por dia.

RC - Como o senhor encontrou a Secretaria de Esportes?
JC - Quando cheguei lá só o futebol era atendido e mudamos essa realidade. Todas as modalidades esportivas passaram a ser atendidas. A secretaria era conhecida como “a pasta do futebol”. Atendemos entre 35 a 40 modalidades. As artes marciais foram as mais beneficiadas.

RC - Por que o senhor decidiu ser candidato?
JC - Não era eu o candidato. Mas, sim o Evandro Garla (deputado distrital), secretário-geral da executiva do partido que não pôde concorrer à reeleição porque tinha uma missão com o PRB nacional que era aumentar o número de deputados federais. Aliás, missão muito bem executada. O PRB saiu de 8 deputados para 21, quase triplicamos.

RC - Por que o PRB escolheu justamente o senhor?
JC - O partido viu potencial em meu nome junto com o trabalho que fiz na secretária na Esportes, que me deu muita visibilidade e a indicação foi mais que natural.

RC - Como será o seu mandato?
JC - Não vou fugir das minhas origens que é o esporte. Vou lutar para que aumente o número de centros olímpicos. Um outro tema que eu vou tocar é a luta pelo melhor tratamento dos idosos nos ônibus e nos hospitais.

RC - Qual será o papel do PRB-DF nesses próximos quatro anos?
JC - O PRB ajudou muito o Agnelo Queiroz. Aliás, sou grato ao governador que acreditou no nosso nome. O PRB contribui com muito orgulho para esse governo. Sobre o nosso papel te digo que a Leila do Vôlei teve 11 mil votos, o Claudecir da Luart teve 9 mil votos. Em 2010 a legenda alcançou 17 mil votos. Em 2014 chegamos a quase 63 mil votos. Se juntar com o federal Vítor Paulo dá quase 133 mil votos. Tanto que o PRB é um partido forte.


Por Odir Ribeiro e Francisco de Paula Jr.

Produção Eugênio Piedade

Fotos/Arte Hernanny Queiroz

Da Redação

Debate decisivo

Quarta-feira, 22 de outubro de 2014 | 10:31

 

Na próxima quinta-feira,23, a Rede Globo irá realizar os debates entre os candidatos ao Palácio do Buriti, Jofran Frejat(PR) e Rodrigo Rollemberg(PSB). O debate será decisivo para as pretensões dos candidatos.

Fonte: Redação

Rollemberg e os índios

Quarta-feira, 22 de outubro de 2014 | 9:53

 

Nosso blog achou um vídeo de 2009 onde o então deputado federal Rodrigo Rollemberg foi batizado pela tribo Krahô no Tocantins. Após o ritual, Rollemberg reafirmou compromisso com as causas indígenas. Na época o agora candidato ao Palácio do Buriti foi considerado irmão dos índios e ganhou um nome em língua indígena: Krowajõ, que significa tocos e palmito de buritis.

 

Fonte: Redação

EXCLUSIVO: Um Frejat que o DF já elegeu tantas vezes, e pode eleger de novo

Terca-feira, 21 de outubro de 2014 | 18:52

 

“Meu adversário persegue a tarifa 1 real. Não entendo isso! Qual é a alegação? Por que não vai dar certo? Falaram o mesmo dos restaurantes comunitários. Já são 10 anos dando certo. O mesmo vai ocorrer com a tarifa de R$ 1 no transporte público”. (Frejat)

Diferentemente do seu opositor Rodrigo Rollemberg, candidato ao GDF pelo PSB, cuja assessoria ainda não entendeu a importância dos blogueiros do DF na política e não nos atendeu, o candidato Jofran Frejat, do PR, nos recebeu logo após entrevista que deu à uma emissora de TV local. Sereno, atencioso e às vezes até didático nas suas respostas que por vezes iam além de nossas perguntas (o que torna enriquecedora qualquer entrevista), Frejat não se negou a responder nenhuma pergunta.

Como estamos fazendo e os nossos leitores tem aprovado, buscamos uma pequena biografia do nosso entrevistado, para que o eleitor do DF que ainda não o conheça como gostaria, saiba quem é o político que há poucos meses nem era lembrado para disputar o GDF.

“Estava quieto em minha casa, mas acompanhando todas as mazelas que faziam ao nosso DF. Quando em convocaram para compor uma chapa não poderia me negar depois de tudo que aqui já fiz e do tanto que Brasília já me deu em troca”. Disse Frejat para explicar o motivo de seu retorno à cena política. Mesmo sabendo que não seria fácil, ele nos disse que “entrou de cabeça”, como em tudo que se propõe a fazer.

Confira abaixo a biografia e a entrevista que fizemos hoje com o candidato ao GDF Jofran Frejat, com exclusividade:

Filho de João Frejat e Adélia Frejat. Casado com Denise Nunes Martins Frejat. Formado pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1962, mesmo ano que se mudou para Brasília onde trabalhou no Hospital Regional da Asa Sul.

Pós-graduado pela Universidade de Londres em 1972 é titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, da Sociedade Brasileira de Mastologia e do Colégio Internacional de Cirurgiões.Diretor do Instituto Médico Legal do Distrito Federal (1973-1979) nos governos Hélio Prates da Silveira e Elmo Serejo Farias, foi Secretário de Saúde no governo Aimé Lamaison e posteriormente secretário-geral do Ministério da Previdência Social além de ocupar uma cadeira no conselho diretor da Fundação Hospitalar do Distrito Federal.

Eleito deputado federal pelo PFL do Distrito Federal em 1986 e participou da Assembleia Nacional Constituinte que elaborou a Constituição de 1988. Reeleito em 1990, afastou-se para ocupar a Secretaria de Saúde no segundo governo Joaquim Roriz. Filiado ao PP foi reeleito em 1994 ingressou no PPB, votou contra a Emenda da Reeleição e conquistou um novo mandato em 1998, afastando-se para retornar à Secretaria de Saúde no terceiro governo Joaquim Roriz.

Disputou uma cadeira no Senado Federal em 2002 ingressou no PTB e foi reeleito deputado federal em 2006, fazendo dele o recordista de mandatos pelo Distrito Federal.

Em 13 de setembro de 2014 torna-se candidato ao Governo do Distrito Federal, em substituição à candidatura do ex-governador José Roberto Arruda ao qual foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa por improbidade administrativa no caso que ficou conhecido como Mensalão do DEM (Democratas).

“Tenho trabalho prestado por essa cidade, amo essa cidade. Meus filhos são daqui. Tenho compromisso por essa cidade. Tenho muito a fazer, tenho disposição e estou sadio. Disseram que eu ia morrer. Uma coisa eu garanto: não será por overdose”.

Rádio Corredor - Como será relação do senhor com os blogs e as mídias sociais?
Jofran Frejat - A melhor possível. Acho os blogs maravilhosos. Vocês têm informações que os outros veículos de comunicação não têm. Alguns jornais são favoráveis há alguns candidatos. Estarei pronto para críticas e é claro também para os elogios.

RC - O senhor fica antenado com que acontece na internet?
JF- Não tenho tempo para acessar. Mas os meus filhos e a minha assessoria de imprensa me deixam bem informado sobre tudo o que está ocorrendo na internet. A política e a internet caminham juntas, não tem jeito.

RC - Os locais carentes não chegam internet de qualidade. O que o senhor fará a respeito?
JF- O nosso adversário prometeu banda a larga a todos. Não cumpriu. Vamos conversar com as empresas para que levem internet para essas localidades carentes. A telefonia aqui não está legal, mal conseguimos falar ao telefone. Vamos cobrar as empresas.

RC - E a repercussão da tarifa de R$1 no Transporte Público?
JF- Meu adversário persegue a tarifa de 1 real. Não entendo isso. Qual é a alegação? Por que não vai dar certo? Falaram o mesmo dos restaurantes comunitários. Já são 10 anos dando certo. O mesmo vai ocorrer com a tarifa de R$ 1 no transporte público.

RC - O orçamento cobre essa despesa?
JF- Mandei fazer um estudo minucioso e bem feito. A nossa equipe chegou à conclusão que é possível. Fizeram estádio de R$ 2 bilhões. Dinheiro tem. Falta vontade! Paulínia, em São Paulo, a tarifa é R$ 1. O projeto deu certo e vou implantar em Brasília no dia 1º de janeiro.

RC - O candidato Rodrigo Rollemberg diz que o senhor não anda com boas companhias? O que senhor tem a dizer sobre esse assunto?
JF- Lamento muito. Ele diz o tempo todo que eu sou ligado a Arruda, Luiz Estevão e outros. O que eu tenho a ver com o problema dos outros? O meu adversário fala que eu sou marionete do Arruda. E ele que é “Maria Palanque” uma hora está com Agnelo, outra com Aécio. Se o Macaco Tião estiver liderando as pesquisas ele pula pra lá. Ele vai de acordo com o vento.

RC - Estão circulando materiais de campanha em que o senhor está apoiando a presidente Dilma Roussef. O senhor está apoiando Dilma?
JF- Não estou fazendo isso. Não posso impedir que os outros o façam. Cada um toma a decisão que quiser. Mantenho a minha posição desde o começo. Meu apoio é para o candidato Aécio Neves. Na verdade, não tenho problema com ninguém. Sou amigo das pessoas independentemente da posição partidária.

RC - O senhor espera uma grande virada, já que os números nas pesquisas não o favorecem?
JF- Estou confiante e tenho motivos para estar otimista, falar que já ganhou é fácil.

RC - Sobre as acusações de improbidade administrativa?
JF- Mandei comprar remédio para câncer. Não deixei faltar comida nos hospitais. Trabalhei em favor do povo. Todas as ações que entram contra mim eu ganho. Não deixarei faltar as coisas. Tenho coragem de fazer as coisas. Assim será quando eu for governador.

RC - Por que o senhor merece ser governador?
JF- Tenho trabalho prestado por essa cidade, amo essa cidade. Meus filhos são daqui. Tenho compromisso por essa cidade. Tenho muito a fazer, tenho disposição e estou sadio. Disseram que eu ia morrer. Uma coisa eu garanto: não será por overdose.

Por Odir Ribeiro e Francisco de Paula Jr.

Assistência Técnica: Eugênio Piedade

Fotos Hernanny Queiroz

Fonte Redação

Dilma e Frejat juntos

Terca-feira, 21 de outubro de 2014 | 10:30

 

 

Já circula nas redes sociais materiais de campanha com a presidente Dilma Rousseff(PT) e o candidato ao Palácio do Buriti Jofran Frejat(PR). O blog já havia adiantado essa dobradinha (leia aqui).

 

Fonte: Redação

Empresário detido com 116 000 reais em Brasília é doador da campanha de Rollemberg

Terca-feira, 21 de outubro de 2014 | 9:02

 

Informações  Lauro Jardim, Veja

Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, o Bené, empresário que estava no avião onde a Polícia Federal apreendeu 116 000 reais, há duas semanas, em Brasília, contribuiu com a campanha de Rodrigo Rollemberg ao governo do Distrito Federal.

A Gráfica e Editora Brasil, empresa de Bené sediada em Brasília, doou 57 753 reais à campanha do pessebista. Parte do dinheiro, 47 803 reais, foi paga em material de campanha, e os 9 950 reais restantes foram repassados a Rollemberg pela Direção do PSB do Distrito Federal.

Um passarinho me contou

Segunda-feira, 20 de outubro de 2014 | 20:12

 

...que os petistas torcem pela vitória de Jofran Frejat(PR) nas urnas...

...que parte dos petistas em protesto a Rodrigo Rollemberg vão pedir voto a Frejat...

...que o voto vai para o Frejat em forma de protesto, mas acordo e pose para fotos nem pensar...

...que petistas não se misturam com Frejat...mas para dar o troco em Rollemberg vale tudo...

...que esse apoio indireto é um recado a Rollemberg...petistas não querem nem ouvir falar o seu nome...

…que o vice-governador Tadeu Filippelli(PMDB) afirmou que Rollemberg ligou para ele sim...

...que a turma do já ganhou está atrapalhando e muito o Rodrigo Rollemberg...

...que alguns políticos que ganharam não sabem como vai fazer para empregar a “outra” ...

...que já há divisão de cargos no eventual governo de Rollemberg...

...que caso Rodrigo ganhe Jaqueline Silva(PPL) já tem a administração de Santa Maria prometida...

...que o lobista e arrecadador Silvio de Assis manda e desmanda em uma certa coligação...

...que vai haver uma invasão de cartazes da presidente Dilma Rousseff junto com Jofran Frejat...

Eita passarinho que sabe de coisas, gente!!!

Por Odir Ribeiro

Fonte: Redação

Assessoria de Rollemberg dificulta encontro com o Sinpro

Segunda-feira, 20 de outubro de 2014 | 18:52

 

 

A assessoria do candidato Rodrigo Rollemberg está botando dificuldades para marcar uma reunião com o Sindicato dos Professores do DF(Sinpro). De acordo com o diretor do Sinpro - Washington Dourado(foto) -  a assessoria de Rollemberg apenas propôs que o Sinpro participasse de uma "roda de conversa." Dourado afirmou ao que não participa de evento de campanha de ninguém.

 Resumindo: ou candidato recebe a diretoria ou não tem conversa. Está dito.

 

Fonte: Redação

Debates da CBN e da Rede Record foram mais do mesmo

Segunda-feira, 20 de outubro de 2014 | 17:35

 

De domingo(19) para segunda(20) foram dos intensos debates entre os candidatos Palácio do Buriti Jofran Frejat e Rodrigo Rollemberg. No domingo, o embate na Rede Record e as farpas trocadas foram as mesmas de sempre. A novidade foi que Rollemberg disparou em direção a Frejat quando perguntou sobre mais de 1 milhão e meio de reais que o candidato guarda em casa. Inclusive o dinheiro está declarado no TRE-DF.

As acusações ao vice de Rodrigo Rollemberg, Renato Santana(PSD) também entraram na roda de conversa. Santana é acusada de improbidade administrativa na época que era administrador de Ceilândia.

O que deu para perceber nos dois debates é o candidato do PSB não atacou com veemência a tarifa de R$ 1 do seu adversário. Estrategicamente pode soar impopular um tipo de ataque desse.

As acusações são as protagonistas de todos os debates. As propostas ficam em segundo plano mesmo sendo as que mais interessam o eleitorado. As propostas são meras coadjuvantes nos embates.  A impressão deixada é que o eleitor vai votar no menos pior.

CBN

No debate da rádio CBN ocorrido na manhã desta segunda-feira, o enredo foi o mesmo, ataques de ambos os lados. Frejat diz que Rollemberg é Agnelo tem tudo a ver e Rollemberg lembra que Jofran é ligado a Luiz Estevão, Arruda e Roriz. Ambas, as colocações estão batidas e creio que esses disparos não tirarão votos nem de um lado e muito menos de outro. Só perda de tempo.

O que resta agora é esperar os números das pesquisas para saber quais serão as estratégias nesses últimos 6 dias. O debate decisivo será na Rede Globo. No dia 26 saberemos como está a cabeça do eleitor. 

 

Fonte: Redação

Sinpro ouve candidatos

Segunda-feira, 20 de outubro de 2014 | 13:55

 

O Sindicato dos Professores do DF(SINPRO) ainda não decidiu quem vai apoiar. O que o sindicato está fazendo é levar as propostas e reivindicações aos candidatos Rodrigo Rollemberg(PSB) e Jofran Frejat(PR). Na manhã desta segunda-feira(20) a diretoria se reuniu com Jofran Frejat(foto). Na parte da tarde os professores tentarão uma reunião com o candidato Rodrigo Rollemberg.

Seria um apoio importante para qualquer candidato.

Fonte: Redação

O Vigilante que poucos conhecem, aqui no blog

Sexta-feira, 17 de outubro de 2014 | 13:33



“Eu daqui fico só olhando esse tanto de promessas. O próprio Rodrigo Rollemberg fica dizendo que vai construir creches em todo canto. Eu acompanhei de perto todo esse processo. Nem terreno para construir as creches tem.”

Muitos conhecem, ou imaginam conhecer, o deputado Chico Vigilante das manifestações de ruas e das polêmicas nos plenários da Câmara dos Deputados e da Câmara Legislativa do DF, mas este blog foi atrás de conhecer e trazer para você além do político. Buscamos as origens e a costumeira sinceridade para tratar todos os temas nesta entrevista.

O nordestino Francisco Domingos dos Santos saiu de Vitorino Freire, no Maranhão, rumo ao Planalto Central. Como a maioria dos que chega à capital federal, com a bagagem repleta de sonhos, sendo o principal deles o de vencer na cidade grande. Determinado, Francisco logo arrumou uma oportunidade como vigilante. Na solidão do trabalho noturno, tinha como companhia um radinho de pilhas onde ouvia entusiásticas declarações de outro trabalhador, representante de muitos companheiros no ABC paulista: Lula da Silva. Aquele que mais tarde viria a ser um grande amigo e companheiro de legenda foi o primeiro ídolo e referência para a formação do caráter sindicalista de Chico Vigilante.

“Eu ouvia o Lula falar no rádio e pensava comigo mesmo: quero ser como ele!”, conta. E se tornou. Com uma dose de sonho idealista e muita determinação, Francisco Domingos se tornou um sindicalista aguerrido igual a Luiz Inácio Lula da Silva. Mais tarde um dos maiores companheiros de legenda.

E Francisco virou Chico Vigilante. Em 1979, entrou para a vida pública com a criação da Associação dos Vigilantes do DF, posteriormente transformada em Sindicato, do qual foi presidente entre 1984 e 1990.

Chico Vigilante ajudou a fundar o PT-DF, que presidiu por três vezes. Antes disso, esteve à frente da Central Única dos Trabalhadores – CUT, por nove anos consecutivos, onde também participou da criação.

O vigilante político e um político vigilante



Em 1986, o vigilante obteve uma votação bastante expressiva como candidato a deputado Constituinte, mas não tomou posse por conta do quociente eleitoral. Em 1990, Chico foi eleito deputado federal e reeleito em 1994 como o mais votado de Brasília e, proporcionalmente, do Brasil. O vigilante tornou-se um dos maiores expoentes do PT no Distrito Federal. Em 2002, eleito deputado distrital, levou para a Câmara Legislativa a mesma forma de trabalhar que desenvolveu na Câmara Federal. De forma efetiva, atuou nas áreas de segurança, saúde, defesa do consumidor (CPI dos Combustíveis), educação, ocupação do solo e moralização do Poder Legislativo.

Chico retorna à Câmara Legislativa, depois de ser eleito em outubro de 2010, para novos desafios. Mas, como ele mesmo diz, instrumentos são os mesmos: coragem, determinação, ética e transparência. Seu retorno coincide com o que ele mesmo define como sendo um dos momentos mais importantes da sua vida como parlamentar: “O PT no comando do Governo do Distrito Federal, outra vez com o desafio de moralizar Brasília. Tendo no comando do Brasil, o pulso firme da primeira mulher presidente do país, a petista Dilma Roussef”.

Nesta eleição de 2014, Chico Vigilante, que é considerado um dos políticos mais leais no DF como afirmam até seus adversários, e sem “papas na língua”, foi reeleito com 17.040 e ele considerou essas eleições as mais difíceis da sua carreira política. Mesmo com toda a dificuldade, a rejeição ao PT “não colou” na sua candidatura. Enquanto a disputa ao Palácio do Buriti neste segundo turno ele deixou a entender que votará nulo.

Rádio Corredor - Como o senhor encarou essa campanha?
Chico Vigilante - A antipolítica impera em todo o Brasil. Eu faço a questão de me apresentar como político. Não me escondo, tenho o orgulho de ser político. Essa campanha foi uma das mais difíceis da minha vida, mas no final deu tudo certo.

RC - Por que o senhor está chateado com o senador Cristovam Buarque?
CV - Nossa história é longa. Em 1994, ninguém acreditava na candidatura dele a governador do Distrito Federal. Walmir Campelo era imbatível. Uma das histórias interessantes é que na época tinha um cartaz tão mal feito que o Cristovam ficou parecendo Zacarias dos Trapalhões. Gladyz, a esposa dele não deixou ir para rua de jeito nenhum. Logo após fizemos outro material e fomos as ruas. No final de tudo de forma surpreendente de virada ganhamos as eleições.

RC - Existe mágoa?
CV - Não estou magoada com ele. Eu votei nele seis vezes. O que eu posso dizer é que o nosso divórcio político não está sendo divórcio amigável. Fui até conselheiro político dele. Na época que Lula foi presidente eu o aconselhei a não ser Ministro da Educação. Pois, seria uma pasta muito difícil. Depois ele reclamou que foi demitido por telefone. O engraçado que quando ele foi governador ele demitiu Hélio Doyle(jornalista) também por telefone quando o mesmo estava de férias. E hoje Doyle está junto com ele nessa empreitada com Rollemberg.



RC - Como o senhor vê o atual cenário político?
CV - Não votarei em nenhum dos dois candidatos que aí estão. O que eu quero é que a população preste bem a atenção nesse tanto de promessas. O orçamento de 2015 está todo carimbado já tem a sua destinação.

RC - Por que as promessas não serão cumpridas?
CV - Eu daqui fico só olhando esse tanto de promessas. O próprio Rodrigo Rollemberg fica dizendo que vai construir creches em todo canto. Eu acompanhei de perto todo esse processo. Nem terreno para construir as creches tem. Não adianta dizer que Agnelo não fez creches no Sol Nascente, Porto Rico e outros locais porque não quis. A verdade é que a condição fundiária do DF é mais intricada do que pensam.

RC - Como o senhor avalia os quatro anos de governo Agnelo?
CV - O Agnelo governou sem mágoa. A população confundiu urbanidade com falta de autoridade. O governador Agnelo é uma pessoa que não é arrogante e nem prepotente. E mais: Agnelo teve a coragem de mexer no transporte público, de enfrentar os empresários e pagar a dívidas trabalhistas dos rodoviários.

RC - As bases políticas foram leais ao governador?
CV - Nós perdemos essa eleição no dia 1 de janeiro de 2011. Cada secretaria era uma ilha, os secretários só pensam em seus interesses. Os administradores, salvo raríssimas exceções, boicotavam o governo. Quando as ações eram boas o administrador dizia que era ele. Quando algo era ruim ficava tudo nas costas do governador.

RC - Em que Agnelo errou?
CV - A comunicação foi extremamente falha ao botar dinheiro em grandes jornais, rádios e TVs. Eles acharam que os blogueiros eram insetos, as pessoas precisam entender que cada cidadão se quiser é dono de canal de rádio e TV. Ele com o celular na mão é dono da informação. No facebook a pessoa hoje tem no mínimo 5 mil seguidores, o alcance é muito maior do que a circulação de muitos jornais por aí, ou aprendemos a viver com essa nova comunicação ou nós daremos mal. O presidente Lula que enxergou isso, sempre deu entrevista para os blogueiros e por isso, que sempre apanhou da grande mídia.

RC - Qual é o seu caminho daqui para a frente?
CV - Vou ficar na oposição e fazer com decência e sem barganhas. A população nos mandou para a oposição para fiscalizar.

 

Por Odir Ribeiro

Fotos Hernanny Queiroz

Fonte Redação

Debate TV Brasília: Acusões de sobra. Propostas de menos

Sexta-feira, 17 de outubro de 2014 | 0:25

 

Foto: Correio Braziliense

O debate da TV Brasília/Correio Braziliense ocorrido na noite desta quinta-feira(16) mais uma vez acertou a mão. Muito boa a temática e a condução dos jornalistas foi impecável. Como foi no primeiro turno.

Mais uma vez as acusações de ambos os lados foi a protagonista. No debate de segunda-feira,13, ocorrido no SBT o candidato Rodrigo Rollemberg tirou um coelho da cartola quando acusou Jofran Frejat por improbidade administrativa nos tempos que ele era secretário de Saúde. Já nesse debate Jofran deu o troco e desenterrou umas emendas parlamentares de Rodrigo que segundo Jofran beneficiava seus familiares. Além de ter acusado o seu vice Renato Santana(PSD) de improbidade administrativa. Empatou o jogo.

Mais, uma vez os candidatos não disseram como vão resolver os problemas de Brasília, que não são poucos. Voltou a repetir já são três debates como esse e a conclusão é mesma:  a esperança de dias melhores nos próximos é nula.

Jofran Frejat

Em relação aos últimos dois debates foi bem melhor. Em matéria de oratória o candidato não deve nada ao seu oponente. Até leva uma certa vantagem. Sobre a passagem, a custo de R$ 1 mostrou que a proposta não é absurda. É possível, sim. Só precisa ser melhor explicada. Se será cumprida é que são elas. O candidato precisa parar de citar Agnelo a toda hora. Perdeu a graça, disco arranhado. As pesquisas mostram que as propostas são o caminho. A sua experiência precisa política ser um pouco mais explorada  

Rodrigo Rollemberg

O candidato precisa ter cuidado em relação as ofensas sobre a idade do candidato. Dizer que o candidato de 77 anos está no fim da vida, pode pegar mal perante a todo o eleitorado. A eleição nas administrações é uma boa proposta, mas todos sabem que esbarra nos deputados distritais. Portanto, dificilmente sairá do papel. Algumas vezes, ele gaguejou e não consegui passar com clarezas as suas propostas e nem responder a altura os contra-ataques de Frejat. Rollemberg precisa lembrar que é o líder das pesquisas e que algumas vezes precisa relaxar. Mas contudo isso não podemos considerar o seu desempenho como ruim.

 

Fonte: Redação

Aécio terá comitê no DF

Quinta-feira, 16 de outubro de 2014 | 12:50

 

O PSDB/DF vai inaugurar nesta sexta-feira (17), o Comitê que servirá de base, em Brasília, para a campanha do candidato à presidência da República, Aécio Neves (PSDB). O local servirá também de base para o candidato ao GDF Rodrigo Rollemberg(PSB).  

Fonte: Redação 

Datafolha : Pesquisa para o Buriti

Quinta-feira, 16 de outubro de 2014 | 10:26

 

Informações G1 DF
Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (16) aponta os seguintes percentuais de votos válidos na disputa de segundo turno para o governo do Distrito Federal:
 

Rodrigo Rollemberg (PSB) – 57%
Jofran Frejat (PR) – 43%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

Votos totais
Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que não sabem ou não opinaram, os votos totais da pesquisa estimulada são:
 

Rodrigo Rollemberg (PSB) – 46%
Jofran Frejat (PR) – 35%
Branco / Nulo – 10%
Não sabe / não respondeu – 9%

Decisão do voto

O Datafolha perguntou ao eleitor se ele votaria com certeza, talvez votasse ou não votaria de jeito nenhum, nos dois candidatos que disputam o segundo turno da eleição no DF.

O resultado foi o seguinte:

Rollemberg:

Votaria com certeza: 41%
Talvez votasse: 26%
Não votaria de jeito nenhum: 29%
Não sabe: 4%
Frejat:
Votaria com certeza: 34%
Talvez votasse: 22%
Não votaria de jeito nenhum: 41%
Não sabe: 4%

Outra pergunta realizada durante o levantamento foi sobre o momento em que o eleitor decidiu o voto no primeiro turno. A pesquisa levou em consideração o candidato escolhido pelo eleitor. Os resultados foram os seguintes:

Total:
Pelo menos um mês antes: 59%
15 dias antes: 17%
Uma semana antes: 10%
Na véspera: 5%
No próprio dia: 9%
Votou em Rollemberg:
Pelo menos um mês antes: 58%
15 dias antes: 18%
Uma semana antes: 13%
Na véspera: 5%
No próprio dia: 7%

Votou em Frejat:
Pelo menos um mês antes: 55%
15 dias antes: 22%
Uma semana antes: 11%
Na véspera: 5%
No próprio dia: 7%
Votou em Agnelo:
Pelo menos um mês antes: 77%
15 dias antes: 6%
Uma semana antes: 6%
Na véspera: 6%
No próprio dia: 5%

Avaliação de governo

O levantamento também perguntou como o eleitor avalia o governo de Agnelo Queiroz (PT). Para 17%, a gestão é ótima ou boa; 31% acham a administração regular; 51%, a avaliam como ruim ou péssima; 1% não soube responder. Em uma escala de 0 a 10, os entrevistados deram, em média, nota 4 ao governo.

Dados da pesquisa

Realizada no 15 de outubro, O Datafolha entrevistou 1.217 eleitores em todo o Distrito Federal. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.
O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo número DF-00083/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo número BR-001098/2014.